Cemig apresentará medidas para melhoria de serviços em Malacacheta e Franciscópolis

PUBLICIDADE

Cemig apresentará medidas para melhoria de serviços em Malacacheta e Franciscópolis


A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) se comprometeu a encaminhar, para a Promotoria de Justiça da Comarca de Malacacheta, no prazo de 60 dias, um cronograma com as medidas que serão implementadas para a melhoria da qualidade do fornecimento de energia elétrica nos municípios de Malacacheta e Franciscópolis, na região do Vale do Mucuri, em Minas Gerais.

O compromisso foi assumido durante reunião realizada no Procon-MG na tentativa de resolver problemas no fornecimento de energia elétrica enfrentados pela população dos dois municípios. A reunião, que foi mediada pelo coordenador do Procon-MG, promotor de Justiça Amauri Artimos da Matta, teve a presença de representantes da Cemig e do promotor de Justiça de Malacacheta, Roberto Vieira dos Santos.

Além do cronograma, a Cemig também ficou encarregada de identificar e informar a situação dos casos em que houve lesão a consumidores e estão retratados no processo administrativo instaurado pela Promotoria de Justiça de Malacacheta. Por fim, a concessionária de energia ainda deverá fornecer os dados relacionados às ações de eficiência energética implementadas nos dois municípios.

Entre os transtornos sofridos pela população, estão as suspensões momentâneas no fornecimento de energia elétrica, mais conhecidos como “picos de energia”. De acordo com a Cemig, isso ocorre devido ao sistema automático de religamento após ausência de energia elétrica por curtos períodos.

Ainda segundo a Cemig, é necessária a implantação de uma nova subestação elétrica, orçada em R$ 31 milhões, cujo projeto executivo já está em andamento e deve ser concluído em 2022. A concessionária de energia explicou também que o dimensionamento da carga de energia necessária para Malacacheta está adequado e é feito em conformidade com as regras regulatórias da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

De acordo com o promotor de Justiça Roberto Vieira, essas informações prestadas pela Cemig serão importantes para se estabelecer uma tentativa de acordo para solução do processo administrativo.


FONTE: http://aconteceunovale.com.br/portal/

Postar um comentário

0 Comentários