O mundo tá esquisito

PUBLICIDADE

O mundo tá esquisito

“O que me preocupa, não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons”


O mundo tá esquisito. Os valores distorcidos. Não existe mais propósito, não precisa de renúncia. Todo mundo lança livro, todo mundo é meio coaching, todo mundo tá se “amando demais”, se achando demais, se olhando demais, num mundo de menos.

De menos respeito aos mais velhos, de menos tempo de qualidade, de menos gente se importando, de menos espaço para ser ouvido, ouvido de verdade. De menos vida real nas redes sociais.


Num mundo agitado e barulhento, quem chora, que chore baixinho e de preferência escondido. Dor não se compartilha, ajuda não se ganha assim do nada. Gentileza ficou esquecida em algum canto na casa da vó, quando eu ainda era só uma criança e valores não viravam pó. O egoísmo é tanto que somos incapazes de ver, que o que sobra pra gente faria o outro viver.
Nossas crianças tão mimadas, habilidosas manipuladoras, gritam, choram, esperneiam, verdadeiras controladoras. E os pais aonde estão? Assistindo a cena toda. Ai daquele que interferir, tem que assistir calado ou corre o risco de ser taxado: violento, ultrapassado, insensível, desalmado.
O que me preocupa, não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons. Por que permanecemos calados, o mundo geme. Por que permanecemos mudos, a impiedade assola. Por que fingimos não ver, a iniquidade se espalha. CHEGA!
Levantemos nossa voz! Não mais nos calemos. GRITE! Mas que seu grito não seja ideológico, que sua voz não seja um discurso vazio. A humanidade está farta de hipocrisia. Cristo nos libertou, SOMOS LIVRES! Somos suas testemunhas, nossa voz não pode se calar. Nosso amor não pode esfriar.
Anunciar, manifestar, apontar, apresentar, confessar, denunciar. Seja a luz na escuridão. Descobrir e divulgar, dizer e espelhar, exibir e expressar, erga sua voz. Exprimir e externar, indicar, noticiar, refletir e retratar. Seja a luz! Revelar, profetizar, as Boas novas proclamar, até o dia em que Jesus virá! SEJA A VOZ que anuncia o SALVADOR!

Postar um comentário

0 Comentários