“Agora sou feliz porque o Senhor me transformou. Eu perdi 30 anos da minha vida metido nas drogas”, lamenta

De cabelos grisalhos, com aproximadamente 1,62m de altura, Luís Ibarra Alvarado, de 59 anos, é bastante comunicativo e seus olhos e sua fala refletem paz, ternura e contentamento. Porém, quem foi este homem no passado?
“Agora sou feliz porque o Senhor me transformou. Eu perdi 30 anos da minha vida metido nas drogas”, lamenta Luchito, como é carinhosamente chamado o hoje produtor do programa Anjos da Esperança da Rádio Novo Tempo em Quito, no Equador.
Sua mãe, Laura Alvarado, faleceu no dia 28 de abril de 2019. Ela conheceu os ensinamentos bíblicos nos anos 70. Quando Alvarado tinha 11 anos, sua progenitora o colocou para estudar em uma escola adventista na capital do país. “Então, ela me disse que eu estudaria no Cade (Unidade Educacional Adventista do Equador), e isso sem ela ser adventista. Ela queria a melhor educação para mim, uma educação cristão”, recorda.
Aparentemente, tudo estava bem em sua jornada acadêmica. O problema foi quando ele deixou a instituição. Naquela época, as más companhias o levaram a beber bebidas alcoólicas, a usar drogas e se afastar completamente de Deus.
A pior decisão
“Aos 18 anos, me casei, e quando completei 22 anos, eu e minha esposa fomos batizados. Após quatro anos e meio de casamento, eu me afastei de Deus e voltei para as drogas. Depois de 23 anos, Deus voltou a me chamar. Era difícil deixar a maconha, a pasta básica, entre outras drogas; mas tinha que sobreviver. Então procurei um emprego”, detalha Alvarado.
Naquela época, começou a vender um curso de leitura rápida. Ia de casa em casa fazendo as vendas. Até que, em 25 de setembro de 2007, enquanto caminhava pelas ruas de Quito, viu um rótulo que dizia IASD, as iniciais da Igreja Adventista do Sétimo Dia. “Naquele momento, senti o chamado de Deus e Lhe disse que voltaria”, expressa.
Volta para casa
Dias mais tarde, reuniu sua equipe de trabalho, em 27 de setembro de 2007, e lhes disse que tinha um compromisso importante a fazer no sábado. “Chegou o dia e me preparei para ir à casa de Deus. Quando cheguei, para minha grande surpresa, o sermão era sobre a parábola do filho pródigo. Senti que o pastor estava falando diretamente para mim, porque dizia o que estava acontecendo comigo”, conta Alvarado com assombro.
O produtor de rádio lembra o que sua mãe lhe dizia: “Faça de Jesus seu melhor amigo.” Naquela manhã, quando ouviu os hinos “Oh que amigo em Cristo temos” e “Achei um Grande Amigo”, começou a chorar ao entender que “Deus estava me dando uma nova oportunidade.”
Desde então, ele quis refazer seu compromisso com sua ex-mulher, mas dias depois descobriu que ela já estava em outro relacionamento. Essa notícia o fez cair em uma depressão tão profunda que ele tentou se suicidar.
À beira da morte
Em novembro de 2007, ele começou a ter pré-infartos porque voltou a usar drogas com intenção de morrer de overdose. Em 23 de agosto do ano seguinte, teve um ataque cardíaco. Deitado em sua cama, pediu que Deus o levasse. “De repente, ouvi uma voz dizendo: ‘Não, levante, caminhe e ligue para o 911’”, recorda. Os paramédicos chegaram em 10 minutos.
Alvarado foi hospitalizado e permaneceu em tratamento intensivo. Os dias passaram e Deus usou diversas circunstâncias para ajudá-lo a sair das drogas. Foi assim que, em 27 de setembro de 2008, Ibarra se entregou completamente a Deus através do batismo. “Desde então, Deus tirou esse desejo de mim”, assegura.
Em 2016, a Rádio Novo Tempo já era parte de sua rotina. Um dia, ele enviou um áudio para o pastor Joel Flores (então apresentador da Rádio e TV Novo Tempo) contando sua história. Semanas depois, recebeu um telefonema o convidando para contá-la no programa Anjos da Esperança. Maruja Palomino foi uma das telespectadoras que o viram na TV. Ela procurou seu nome no Facebook, o adicionou como amigo, e lhe enviou uma mensagem de incentivo.Semanas depois, Alvarado decidiu criar um grupo no WhatsApp e adicionou Maruja e seu marido. Ali começou a compartilhar mensagens da Bíblia e reflexões espirituais. Maruja pediu-lhe que acrescentasse ao grupo uma senhora chamada Loumilita Carrillo, que precisava saber sobre Jesus. O que ele não sabia é que esse ministério lhe permitiria levar três pessoas ao batismo. “Esse era o plano de Deus para mim: salvar pessoas assim como Ele me salvou”, sublinha.
No dia em que as três pessoas foram batizadas como resultado de seu ministério pelo WhatsApp, a Igreja Adventista do Equador o condecorou como “WhatsAppeiro da Esperança”.
Um sonho real
Desde que Luís começou a escutar a Rádio Novo Tempo, sonhava em fazer parte dela. Por isso, se ofereceu como voluntário para servir na Escola Bíblica da emissora. Embora sua área de atuação seja a auditoria, a rádio era tudo para ele. Após fazer um curso de locução, começou a trabalhar ali no dia 1º de outubro de 2017, quando foi ao ar seu primeiro programa, chamado Anjos da Esperança.
“Hoje em dia, vejo como Deus me abençoou, e em gratidão, tornei o WhatsApp uma ferramenta missionária. Eu envio mensagens de esperança diariamente com base na Bíblia para vários grupos de amigos e familiares. Dessa maneira, as pessoas conhecem Jesus”, destaca. “Agora tenho a grande bênção de servir a Deus depois de ter tido uma vida tempestuosa nas drogas. Deus pode fazer um trabalho maravilhoso em você. Ele tem um plano especial para você, mas deixe-o fazer com sua vida o que Ele quiser”.